10 fevereiro 2006

Formas de Amar

Quem ama o corpo ama o momento, é como o incêndio vermelho
de um sol derradeiro que agoniza no céu.

Quem ama a mente recebe as águas de um rio límpido e inesgotável
que se renova e cumpre a missão de saciar a sede humana.
Quem ama o ser que mora no outro é parte do sol que incendeia,
é parte do rio que nutre a alma, completa a constelação das estrelas eternas,
e tudo ao mesmo temo sente e partilha, num fogo que consome e cria.
Poesia: Formas de Amar - Silvio Vinhal
Ilustração: Gravura Tempo I - do mesmo autor

Um comentário:

Isabel disse...

essa poesia é a mais linda que eu já li... ganha até de vinícius de moraes! hehe..

beijão

te amo tio